Que tal fazer o próprio cigarro?

Fazer o próprio cigarro tem se tornado algo comum no Brasil. Mas, por que será que os fumantes estão deixando o cigarro industrializado de lado e abraçando esta nova “cultura”?

A chamada cultura do “ROLL-YOUR-OWN” (enrole o seu próprio), surgiu como negócio na Europa há mais de 200 anos, quando se tem datado o surgimento das primeiras marcas de papel para enrolar tabaco como maneira de personalizar o próprio cigarro.

De lá para cá, este mercado só tem crescido. Um estudo realizado em 2009, pela empresa de pesquisas Matrix Insights, da Europa, verificou que:

-As vendas globais de cigarros industrializados na UE diminuíram de 793,7 bilhões de euros em 2000 para 608,8 bilhões em 2010 (uma redução de 23,3%).

– Enquanto isso, as vendas globais de Roll-Your-Own (RYO) aumentaram de 53,1 mil toneladas em 2000 para 75,5 mil toneladas em 2010 (um aumento de 42,2%).

– Este aumento no consumo de RYO é equivalente a 12% da redução do consumo de cigarros industrializados.

Ainda, segundo esta pesquisa, o tamanho do mercado de tabaco RYO em 2010 foi de 75,5 mil toneladas em toda a UE, isto representa um aumento de 42% no tamanho do mercado em relação a 2000, quando 53 mil toneladas de tabaco para RYO foram vendidos em toda a UE. E a tendência é continuar crescendo.  Ou seja, no Velho Continente a cultura do Roll-Your-Own já está consolidada e as pesquisas apontam ainda mais crescimento para os próximos anos. No Brasil, o cenário é um pouquinho diferente. O RYO como negócio chegou há pouco tempo. Até onde se sabe, foi em 2010, com a criação da Hi Brasil Tobacco, que lançou a primeira marca de tabaco para enrolar, o Hi Tobacco. O motivo desta preferência, tanto aqui quanto na Europa, passa por economia.

Isso porque, o imposto sob este tabaco é menor do que o imposto do cigarro industrializado. Com isto, o produto oferece uma economia para o bolso do fumante: com 1 bag contendo 35 gramas de tabaco e que custa, em média, R$18,00 é possível fazer até 60 cigarros. Já a carteira de cigarro que tem em torno de 8 a 12 gramas de tabaco, distribuídas em 20 cigarroscusta, em médiaR$8,00.

Outra motivação dos brasileiros para enrolar o próprio cigarro é que com isto, os fumantes acabam consumindo menos cigarros ao longo do dia, afinal, fazer o próprio cigarro despende tempo. Outra vantagem: podem ainda optar por um tabaco 100% orgânico ou natural, e totalmente livre de aditivos químicos, como aromatizantes ou flavorizantes. São estes, alguns dos motivos, que estão tornando a cultura RYO bem conhecida entre os brasileiros e um negócio em ascensão.

 

Pesquisa na íntegra.